Quem Somos

A Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Universidade Federal de São Carlos – FAI.UFSCar – é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, criada em 1992, cuja atuação está subordinada à Lei das Fundações n. º 8.958/1994 e seu decreto regulamentador.

Ela está credenciada no Ministério da Educação e no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e é auditada e fiscalizada pelos Tribunais de Contas da União e do Estado, Ministério Público Estadual e Receita Federal, entre outros órgãos.

A missão da FAI.UFSCar é apoiar a comunidade acadêmica na realização das atividades de ensino, pesquisa e extensão, com o objetivo de promover o desenvolvimento científico, tecnológico e de estímulo à inovação.

Histórico 

Antes de 1992

  • A UFSCar iniciou suas atividades em 1970 e a criação de uma fundação de apoio só começou a ser discutida durante a gestão do reitor Munir Rachid (1984-1988). Nesta época a universidade tinha 15 cursos de graduação e 10 de pós-graduação e já era reconhecida como a “pequena notável” pelo destaque nacional que alcançava nas atividades de ensino e pesquisa. Faltava desenvolver a atividade de extensão, um dos pilares de aproximação com a sociedade. Para isso, era necessário criar uma fundação de apoio, cuja exigência passava pela participação de uma empresa ou associação que a apoiasse institucionalmente. A solução encontrada foi junto à Associação Brasileira de Polímeros (ABPol), entidade fundada por pesquisadores da área de Materiais da própria UFSCar em 1988. A primeira versão do estatuto da Fundação de Apoio Institucional (FAI), como era chamada, foi analisada por uma comissão do Conselho Universitário (ConsUni) em 27 de setembro de 1991 e estabeleceu os princípios que norteariam as ações da FAI.UFSCar, dando-lhe características peculiares com relação às demais fundações do País, a saber: ser a única fundação de apoio da UFSCar; estar incorporada à Administração Superior por meio do Conselho Deliberativo tendo o reitor como seu presidente; e fazer a gestão somente de projetos aprovados no âmbito acadêmico. 

1992

  • Em janeiro, a ata de criação da FAI.UFSCar foi registrada no Cartório e publicada no Diário Oficial do Estado.
  • Em fevereiro, ocorreu a cerimônia de posse dos membros do Conselho Deliberativo.
  • Neste ano, também foi criado o Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-açúcar (PMGCA) após a incorporação das dependências do Instituto Açúcar e Álcool (IAA) de Araras à UFSCar. O PMGCA se tornaria, nos anos seguintes, uma dos Projetos Vitrine da FAI.UFSCar.

1993

  • Nomeado o primeiro diretor executivo da FAI.UFSCar, José Alberto Rodrigues Jordão, que passou a trabalhar nas dependências do Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET).
  • O primeiro projeto gerenciado pela FAI.UFSCar foi o Centro de Caracterização e Desenvolvimento de Materiais, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

1994

  • A UFSCar tem papel de destaque na construção do marco legal das fundações – a lei 8.985/1994 –, por meio da presidência da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).
  • O número de projetos gerenciados pela FAI.UFSCar passou de 15 contratos em 1992 para 46 em 1994.

1995

  • Sílvio Manrich é nomeado para a diretoria executiva da FAI.UFSCar. Neste ano, 15 funcionários atendiam as demandas nas áreas de compras, importações, recursos humanos, financeiro e secretaria.

1996

  • Sob a coordenação da FAI.UFSCar, entram em operação os Núcleos de Extensão – criados com o intuito de fortalecer a relação com a sociedade.

1997

  • Todos os projetos de extensão da universidade passariam obrigatoriamente pela FAI.UFSCar após a avaliação do departamento de origem do coordenador e do Conselho de Extensão.
  • O Relatório de Atividades da FAI.UFSCar nasceu diante do aumento no número de projetos gerenciados e da necessidade de prestação de contas junto aos Conselhos Fiscal e Deliberativo.
  • Iniciam-se as atividades de assistência fisioterápica à comunidade de São Carlos e região pelo Sistema Único de Saúde (SUS) por meio de um convênio intermediado pela FAI entre a UFSCar e Secretaria de Estado da Saúde.
  • Instalação do primeiro ponto da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) no campus São Carlos.

1998

  • FAI.UFSCar inicia as discussões sobre Propriedade Intelectual e realiza o primeiro evento sobre marcas e patentes com a participação do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).
  • Criação do setor de informática e implantação do primeiro sistema de gerenciamento de projetos e finanças.

1999

  • Newton Lima é nomeado diretor executivo da FAI.UFSCar.
  • Criado o setor de Comunicação da FAI.UFSCar com o objetivo de fortalecer a prestação de contas à sociedade.
  • Criado o cursinho Pré-vestibular da UFSCar para preparar estudantes de baixa renda de São Carlos e região para ingresso no ensino superior e dar suporte à formação dos graduandos da própria universidade.
  • Incubadora Regional de Cooperativas Populares (INCOOP) nasce com o objetivo de estimular a criação de cooperativas populares nas comunidades carentes de São Carlos e região.

2000

  • Entrou em operação o Sistema de Gerenciamento de Projetos e Finanças.
  • Uma página eletrônica da FAI.UFSCar entrou em operação para dar suporte ao GPF e oferecer serviços digitais.
  • FAI.UFSCar organiza o workshop “Propriedade Intelectual e geração de patentes na Universidade” com a participação da FAPESP para estimular a comunidade acadêmica a discutir o tema.
  • Paulo Ignácio é nomeado como diretor executivo.
  • Elaborado estudos sobre o plano de cargos e salários dos funcionários da FAI.UFSCar.
  • Realização do workshop Cooperação Universidade-Empresa.

2001

  • Fúlvia Stamato assume a diretoria executiva da FAI.UFSCar.
  • A FAI.UFSCar promove vários eventos de lançamento de livros e cria uma estrutura para realizar concursos públicos.
  • Elaborada a primeira versão da minuta que regulamenta a propriedade intelectual da UFSCar.

2002

  • FAI.UFSCar comemora 10 anos em meio a um cenário nacional conturbado para as universidades públicas federais, que viviam uma realidade marcada por greves, falta de servidores e de recursos. O número de cursos de graduação, 27, era o mesmo que em 2000. Na pós-graduação eram 32 cursos.
  • Ana Lúcia Vitale Torkomian assume a diretoria executiva da FAI.UFSCar.
  • Realizados vários eventos que destacavam o papel das fundações de apoio, propriedade intelectual e geração de patentes.
  • Criação dos setores de Serviços, responsável por organizar eventos da UFSCar, de Projetos para cuidar da relação universidade e empresa e da propriedade intelectual.

2003

  • A FAI.UFSCar faz o primeiro depósito de pedido de patente: o Biosilicato.
  • Início do Festival Chorando Sem Parar.
  • Conselho Universitário aprova portaria que institui o programa de propriedade intelectual e aprova a redução de taxas a projetos de extensão com características diferenciadas, em especial os de relevância social - Unidade Saúde Escola, Orquestra Experimental, Incubadora de Cooperativas, entre outros.

2004

  • A FAI.UFSCar lança novo site com notícias diárias e novas ferramentas para os coordenadores de projetos.
  • FAI.UFSCar e Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizam em São Paulo mais um evento de estímulo à propriedade intelectual.
  • Publicado o Manual de Propriedade Industrial e a Carteira de Patentes.

2005

  • A FAI.UFSCar assume o gerenciamento do projeto de implantação do campus da UFSCar em Sorocaba. Neste período, as universidades federais passaram por um processo de ampliação.
  • FAI.UFSCar tem atuação decisiva na criação do curso de Medicina do campus São Carlos da UFSCar.
  • A Unidade Saúde-Escola (USE) inicia atendimentos clínicos ambulatoriais aos usuários do SUS sob a orientação de equipes multiprofissionais.
  • A FAI.UFSCar já havia realizado 17 depósitos de pedidos de patente.

2006

  • Inauguração da nova sede da FAI.UFSCar, na área Norte do campus São Carlos.

2007

  • A Rádio UFSCar entra em atividade sob a concessão da FAI.
  • A FAI.UFSCar realiza vários eventos ligados ao tema de propriedade intelectual.

2008

  • Ano de criação da Agência de Inovação da UFSCar.

2009

  • Ao mesmo tempo em que a UFSCar crescia e já estava com 57 cursos de graduação e 54 de pós-graduação, a FAI.UFSCar gerenciava cerca de R$ 140 milhões por ano em projetos.
  • Paulo Ignácio é nomeado pela segunda vez como diretor executivo.
  • A equipe de Engenharia da FAI.UFSCar foi ampliada para atender o Escritório de Desenvolvimento Físico (EDF) da UFSCar na execução de projetos do CT-Infra e Proinfra.

2010

  • A FAI.UFSCar é eleita para presidência do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies) e tem papel de destaque nas discussões que visavam melhorar o decreto 7.423/2010, que regula a relação das fundações de apoio com as Instituições Federais de Ensino Superior.
  • A FAI.UFSCar assume a implantação do quarto campus da UFSCar, agora na Fazenda Lagoa do Sino, no município de Buri (SP), doada pelo escritor Raduan Nassar.

2011

  • Iniciada uma série de atividades para marcar as comemorações dos 20 anos da FAI.UFSCar.
  • Entrega de um novo site, mais moderno, acessível e com novas ferramentas.

2012

  • FAI.UFSCar comemora 20 anos.

2013

  • Abril, Victor Luiz Sordi é nomeado como diretoria executiva da FAI.UFSCar.
  • Lourdes de Souza Moraes assume a diretoria executiva da FAI.UFSCar em outubro.
  • Realização do 1º Integra FAI – evento de confraternização e capacitação dos colaboradores.

2014

  • Criação da Gerência de Projetos, que integrou as atividades dos antigos setores de projetos governamentais e de extensão.
  • Criação do Conselho Editorial da Rádio UFSCar e implantação de nova gestão.
  • Implantação do Plano de Carreira e Remuneração dos empregados FAI.

2015

  • A FAI.UFSCar é responsável pela organização da 67ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que aconteceu no campus São Carlos da UFSCar entre os dias 12 e 18 de julho. O evento, que é o maior do gênero na América Latina, reuniu em São Carlos 10 mil pessoas por dia, em 74 mesas-redondas, 52 minicursos e 60 conferências, além de envolver 800 pessoas na organização. Foram 80 horas de programação cultural e 30 mil m² de edificações e instalações. A repercussão foi enorme com mais de 500 matérias em jornais, rádios e TVs. Versão eletrônica do livro Luz, Ciência e Muita Ação - As histórias da 67ª Reunião Anual da SBPC São Carlos.
  • Conquista de R$ 19,7 milhões junto à Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) para conclusão de 10 obras por meio do CT-Infra.
  • Novo Sistema de Gerenciamento de Dados (ERP) entra em operação.
  • Entrada em operação da nova Área do Coordenador no site da FAI.UFSCar
  • Criação do Portal da Transparência.
  • As 10 universidades federais que integram a Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa) lançam 16 novas variedades de cana-de-açúcar, dentre as quais 4 são do Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-Açúcar (PMGCA) da UFSCar.

2016

  • FAI.UFSCar inaugura o segundo prédio de sua sede na área Norte do campus São Carlos para abrigar a Agência de Inovação, o Escritório de Apoio à Pesquisa e a Gerência de Engenharia.
  • Novos Pontos de Apoio da FAI.UFSCar são inaugurados nos campi de Araras e Sorocaba.
  • Criação do Manual do Coordenador de Projetos FAI.UFSCar.
  • Implantação de uma nova ferramenta digital de Cursos e Eventos.
  • Implantação de um novo site da FAI.UFSCar.
  • Ednaldo Brigante Pizzolato assume a Diretoria Institucional da FAI.UFSCar.